Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Três lágrimas...II

28.04.07


 



 

 


Hoje deixo cair mais uma lágrima, mas desta vez ainda não descobri se é de alegria, tristeza, ou as duas coisas…ajudem-me a analisá-la!


 


Levei as coisas com calma, tentei ao máximo fazer com que tudo fosse diferente, como tenho dito o passado ajudou-me a não cometer os mesmos erros, mas será que aprendi tudo o que havia a aprender?


Devagar, aos poucos, aprendi a conhecer-te melhor, ao mesmo tempo que me deixava levar por um misto de sentimentos, tão bom estar na tua companhia, tão belo o teu sorriso, presença enriquecedora a tua na minha vida! Aos poucos deixei os meus sentimentos evoluírem e hoje, apesar de não saber se chega a ser paixão, acredita é algo muito especial! Por muito que eu recorde o passado, jamais em tempo algum me senti tão bem na companhia de uma pessoa como me sinto quando estás perto de mim. És perfeito…


Olho para ti e vejo tudo o que eu mais queria num sonho meu, um sonho de pessoa, sorriso sincero, alma pura, bastante compreensivo e acima de tudo és um livro aberto, não escondes nada, não usas o mistério como protecção, és tu ao natural…


Quando aprendi a conhecer-te, julguei estar a viver um sonho, mas como me sentia bem acordado, acreditei então estar diante da perfeição!


Mas será que a perfeição existe?


Aos poucos e depois de te falar do que sentia por ti, continuei a acreditar que ainda poderia dar certo e alimentei em mim a esperança, fui à luta, sem grandes pressões continuei ao teu lado diariamente, tomei cafés, abracei-te, sorri para ti…fui sempre eu, sem máscaras! Assim continuamos a nossa caminhada até ao dia em que tu me disseste que as coisas estariam a mudar, no dia em que tu me disseste que talvez desse certo…


Música para os meus ouvidos!


Olhei para ti, olhaste para mim e trocamos ali o nosso primeiro beijo de verdade, mas ao mesmo tempo senti que algo estaria errado, não me perguntes porque o achei, mas a verdade é que não senti a tua presença como deveria de ser!


Foi bom, confesso que sim, enquanto durou… Dois dias depois eu próprio falei contigo, eu próprio te coloquei as questões e acabaste por confessar estares a contrariar os teus sentimentos!


“- És perfeito Gaybriel, nunca conheci uma pessoa como tu, não encontro defeito algum em ti, mas desculpa, o sentimento não evolui…não posso continuar a enganar-te!”


Mais uma vez o defeito é meu, afinal eu sou sempre perfeito demais…


Mas será que a perfeição existe?


 


Hoje, uma semana depois, estou aqui a escrever para ti, mesmo sabendo que jamais lerás estas linhas onde escrevo com todo o meu sentimento! E estou a escrever, porque ainda não sei o que fazer…


Desistir? Baixar os braços?


Não sei.


Temos continuado a sair, ambos fazemos questão disso, porque acima de tudo acredito que tu me amas, na amizade que ambos construímos! É muito bom sentir-me amado dessa forma…


Afastar-me de ti? Tu próprio não o permites e quando falamos disso, notei mágoa no teu olhar…


Vamos então prosseguir esta nossa caminhada, vamos continuar a sair com os meus amigos que te adoram, vou continuar a sair com os teus amigos com os quais também aprendo a lidar… Vamos então ser amigos, quem sabe os melhores de sempre, quem sabe para sempre!


Vamos em frente e depois mais tarde quem sabe?!


Um grande amor poderá nascer da mais bela amizade!


Adoro-te!


 


Gaybriel


 

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2