Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Três lágrimas...I

25.04.07


 


Hoje verto uma lágrima, uma lágrima de alegria!

Os anos estão a passar num ápice, ainda parece que foi ontem, eu com 21 anos, um pouco a medo procurei nesta nossa sociedade, pessoas que pensassem e agissem como eu, que no seu intimo sentissem o mesmo que eu sinto…sou homossexual!

Na altura, os medos, os fantasmas eram enormes, que vergonha, escondia-me de tudo e de todos para que não descobrissem que eu era diferente! Aos poucos fui vivendo essa minha realidade, partilhando o segredo com os meus melhores amigos, os mesmos que não me viraram as costas e sempre estiveram do meu lado e me aconselharam sempre! Foi muito difícil, mas decidi que em algum local teria que me sentir bem e contei a todos eles, para que pudesse desabafar, falar dos meus medos, das minhas paixões, das minhas lágrimas! Eles aceitaram-me do mesmo modo como até então, não discriminaram, continuaram ali do meu lado, como se nada tivesse mudado e na verdade, nada mudou…

Ser homossexual não é doença!

Tentei sempre ao longo desta minha caminhada, até aos dias de hoje esconder de toda a minha família e principalmente no meu local de trabalho! Mas…não consegui!

Aos poucos, três das quatro mulheres que eu mais amo neste mundo, descobriram que eu, o irmão era diferente do que elas queriam e pensavam! A mana mais velha, julgo ter entendido bem, se aceitou, não sei, (acho que sim, Madalena!), a mana mais nova tentou esconder as lágrimas, tentou esconder de mim que já sabia de tudo, mas sou mais esperto do que ela e acabei por entender que tinha de conversar com ela afim de lhe tirar todas as dúvidas! Hoje diz que me entende e se calhar é com ela que mais falo sobre o assunto. A mana do meio, descobriu esta semana, confesso que também não fiz por o esconder, por vezes quanto mais se esconde pior é… Conversamos e admirei-me pela reacção que teve! Afinal, as minhas manas são muito à frente! Julgo estar perto de atingir o que eu mais queria, deixar de omitir o que sinto!

Para quê enganar a família? Para quê fazê-los pensar que vou casar e ter filhos? (Se calhar até vou, mas isso fica para a última lágrima vertida aqui!) Sinto que a pessoa a quem me falta revelar o que se passa, é a matriarca da família! A minha mãe, a mãe coragem! Coragem…coragem é o que me falta…

Espero que ela descubra da mesma forma, aos poucos!

No meu local de trabalho, digamos que o assunto foi bem diferente…

Guerras do passado, quezílias entre amigos, culminaram no inesperado! Directa e indirectamente conseguiram humilhar-me frente aos meus colegas de trabalho, com ameaças e afins, usando terceiros e não só, dando a entender aquilo que eu sempre quis esconder! A bomba estoirou… Perante as evidências, perante o estatuto que atingi na empresa vi-me obrigado a assumir quando confrontado com as provas apresentadas! Para quê mentir? Já o sabiam…

Hoje, alguns meses depois apenas tenho a agradecer, consegui o que eu mais queria, o respeito de tudo e de todos dentro daquela loja! Há males que vem por bem…

Não tenho vergonha de ser como sou, sinto sim um grande orgulho!

Para quê esconder o que de mais bonito podemos ter…o amor pelo próximo, independentemente de ser homem ou mulher!

Estou bem assim e acredito que um dia serei verdadeiramente feliz ao cruzar-me com a pessoa que pense e aja como eu!


Gaybriel...

 

16 comentários

Comentar post

Pág. 1/2