Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Paris...Je t'aime! 6ª e última parte

16.03.16

E a nossa viagem estava a entrar na recta final.
Depois de visitar monumentos e museus, termos ido à Eurodisney e termos assistido ao tão aguardado concerto da Celine Dion, tiramos a 6ª feira para visitarmos o Palácio de Versalhes!
Vou confessar-vos que nunca fui muito adepto de museus, história e afins, mas visto estarmos numa viagem cultural, tinha que ceder e deixar-me levar pela vontade do meu gajo e pela opinião de amigos que já tinham estado em Paris.
Aquilo que posso afirmar é que adorei.

06122013105.jpg

 O Palácio de Versalhes é um castelo real localizado na cidade de Versalhes, uma aldeia rural à época de sua construção, mas actualmente um subúrbio de Paris. Desde 1682, quando Luís XIV se mudou de Paris até a família Real ser forçada a voltar à capital em 1789, a Corte de Versalhes foi o centro do poder do Antigo Regime na França.

O palácio divide-se pela Ala Norte onde se encontra a Capela Real, a Ala Sul, que originalmente abrigava os aposentos dos nobres, o Pátio de Mármore, este pátio é decorado com calçamentos, runas e bustos de mármore e o pátio principal que se chama Pátio dos Ministros.

06122013113.jpg

 Assim que entramos no palácio, pudemos adquirir o áudio guia e o mapa do passeio. As principais salas do palácio ficam no primeiro andar. Ao redor do Pátio de Mármore estão os aposentos reais onde podemos apreciar o Quarto Real, no qual Luis XIV morreu aos 77 anos, em 1715. Ao lado dos jardins, os aposentos oficiais exibem rica decoração, com mármores coloridos, entalhes em pedra e madeira, murais e móveis dourados. Cada um é dedicado a um deus do Olimpo. A sala do trono de Luis LXV, chamada Salon d’Apollon, foi desenhada por Le Brun e dedicada a Apolo. O ponto alto da visita é o Salão dos Espelhos, com 70m de extensão e 17 espelhos que reflectem a luz das altas janelas, sediou importantes eventos. Nele foi ratificado em 1919 o Tratado de Versalhes, que encerrou a Primeira Guerra Mundial.

06122013127.jpg

 Depois da visita ao palácio, vale sempre a pena percorrer os jardins de Versailles tão bem decorados com magnificas estátuas de bronze.

Ainda houve tempo de visitar o que julgávamos ser os aposentos de Marie Antoinette, no entanto descobri hoje com uma breve pesquisa, depois de quase três anos, que aquela pequena casa era O Petit Trianon, um palácio construído no século XVIII pelo Rei Luis XV para a sua amante, a Madame de Pompadour, posteriormente é que  Luis XVI ofereceu o Petit Trianon à sua esposa Maria Antonieta. Descobri hoje também que por detrás deste pequeno palácio havia muito mais a visitar, não nos lembramos se nos tinham vedado o acesso ou se simplesmente não nos apercebemos! O que ambos sabemos e nisso estamos de acordo, voltaremos para visitar tudo o resto que nos escapou.

06122013129.jpg

Findada a visita, tiramos o resto do dia para nós mesmos.
No sábado rumamos a casa de um irmão, ficou prometida a visita e no fundo era um agradecimento por nos terem comprado os bilhetes para o concerto e para o parque da Disney, o que acabaram por nos oferecer!
Foram sem dúvida umas férias de sonho, que queremos repetir, porque…
Paris é lindo, Paris tem charme, Paris tem romance, Paris tem luz.
Paris, je t’aime!

Carlos

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2