Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

O carrocel das emoções

carrosel.jpg

 Estava lá atrás, na memória, parado no tempo, a uma distância cada vez maior, longe de mim, já esquecido!
Relembrá-lo eu sabia, faria desfilar as mais tristes recordações, por isso mesmo havia apagado a luz para sempre, não queria vê-lo envelhecer, queria sim, que desaparecesse, mas eu sabia, faria parte de mim, jamais o poderia fazer desaparecer, fez-me sofrer, mas ajudou-me a crescer! Deixei-o lá trás…àquele velho carrocel!
Os anos passaram, momentos houve em que o esqueci, outros momentos fizeram questão de o trazer à memória, agora nunca pensei que…
Nunca pensei que ousassem acender a luz!
Acenderam a luz e quando me apercebi, o passar do tempo não causou estragos no carrocel, pior, colocaram-no a trabalhar sem pedir licença e a melodia mexeu de novo comigo e fez com que percebesse imediatamente que os anos passados em nada me modificaram e dei por mim a cantar a mesma canção sem nunca me perder na entoação que aprendera!
E ele voltou a girar, voltou a tocar!
E eu fiquei parado a observar, por momentos esqueci o passado, quis viver o presente e deixei-me embalar novamente neste carrocel de emoções!
Tantos anos depois, entrei e sentei-me, afinal fazia parte de mim, tinha que viver isto novamente!
Alheei-me do mundo em volta, que prosseguia normalmente, para poder viver todas as emoções que estava a sentir, mesmo sabendo que não iria longe, que as voltas no carrocel teriam um prazo! Mas enquanto não terminasse, quis viver ao máximo e deixei-me levar, entregando-me à loucura do momento.
Alimentei a ilusão de um sonho bom!
Até que…
Apagaram a luz, às escuras ainda me deixei levar pelas voltas extenuantes das emoções, mas eis que o próprio carrocel se desliga de repente e atira-me ao chão, sem dó nem piedade.
Fiquei ali, sozinho, na mais completa escuridão, perdido, ferido de morte no orgulho e na alma e envergonhado por me ter deixado levar novamente pelo carrocel das emoções!

Carlos
(Num passado distante...)

9 comentários

Comentar post