Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

No happy ending...


Nunca uma música falou tanto de mim, como esta que agora toca aqui no meu cantinho!


Ora ouçam! Conhecem? Sabem quem canta? É Mika com Happy Ending… Adoro, adoro, adoro…


Através da tradução, frase a frase da letra desta música apercebi-me que nos fala de alguém que sofre. E sofre por ter sido abandonado por alguém, como ele diz ficou sem “nenhuma esperança, nenhum amor, nenhuma glória”! Hum, como me identifico com este tema…


Olho o último mês da minha vida, o que vivi, o que senti, no que voltei a acreditar, no que quis, com que sonhei… Eras tu! E agora quem és?


Hoje olho para mim, apenas uma imensa nostalgia dos momentos que passei contigo enquanto vivíamos aquela fase do conhecimento, aquele sorriso simpático, aquela gargalhada gostosa, aquele bater acelerado de um coração, diziam os sábios, coração apaixonado! Seria?


Hoje sei que posso continuar ao teu lado, aliás provavelmente estarei contigo hoje, mas será que me vai fazer bem? Terei eu a força necessária para estar do teu lado e olhar para os teus olhos como amigo apenas? Estarei preparado para estar sozinho contigo?


Sei que aprendi muito, estou muito mais cauteloso em todos os meus actos, nas atitudes que tomo, mas será que aprendi tudo o que tinha de aprender? Eu sei que não…


“No Happy ending”… Neste campo em que falo, realmente os finais felizes estão longe do meu caminho, olho, conheço, procuro conhecer melhor, arrisco, persisto um pouco, perco as forças, abandono o barco e encontro-me de novo sozinho! Sim, sozinho não estou, tenho a tua amizade, mas faltará sempre algo mais… Estarei preparado para prosseguir esta nossa amizade? Acho que sim…


Como amigo, és um meigo, sincero, amoroso, simpático, querido, tens uns abraços bem apertadinhos, tens uma preocupação sem igual, tens no olhar a compreensão, ai, ai, ai, sinto tanta a tua falta do meu lado!


Vamos então continuar a ser amigos?


Engraçado, custa muito menos esquecer o que sinto, sabendo que estás do meu lado, do que afastar-me num tempo que poderá ser eterno! Ou será a minha esperança a falar?


Não…não vou por aí! Saberei concerteza separar as coisas!


Adoro-te do meu jeito…


Um cafezinho hoje à noite?


 


Gaybriel….


 


 


 

7 comentários

Comentar post