Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

No baú das recordações...

28.01.07


Sentado nesta cadeira, já pouco sinto as pontas dos dedos que teimam em escrever aqui umas breves linhas, do que foi, do que é e do que será um dia!

Estou completamente gelado, lá fora anoitece, as ruas estão desertas, é a solidão por completo.

Vagueei, por entre as divisões desta casa vazia, em busca não sei bem do quê, procurei algo que me aquecesse o coração, para que este não congelasse com o frio do tempo que se faz sentir e com o frio das palavras que me fizeram ouvir!

Rebusquei então no meu baú de recordações, forma de me distrair e em breves minutos fiz uma retrospectiva da minha vida…

Uma lágrima de saudade escorregou pelo canto do olho, saudades de um passado bem distante, em que uma criança ainda inocente pintava o céu em tons de azul, e com as cores do arco-íris pintava a vida…vida, mas o que é a vida?

Continuei a remexer nas recordações, um misto de emoções, das lágrimas passei ao sorriso rasgado, pelos bons momentos, retratados em fotos, que passei na escola, na praia, nas férias, com pessoas que fizeram parte da minha vida durante a minha adolescência…velhos tempos! Onde estão eles agora?

Prossegui, procurando forma de aquecer o meu coração e o resguardar do gelo, do baú retirei ainda cd’s de música que fizeram historia, músicas que ainda hoje me acompanham em pensamento, musicas que mais ninguém ouve, mas ao som do qual passei momentos lindos! Músicas…músicas do coração!

Quanto mais fundo fui, mais perto do passado recente cheguei, esse teimei em deixar bem guardado, um dia quem sabe serei capaz de o relembrar, hoje não, hoje não é dia para tocar nesse assunto…

Cheguei ao fundo do baú, pensei para mim, já vivi tanto, já chorei tanto, já sorri, já abracei, já amei, sou um vencedor apesar de tudo! Ainda estou aqui!

Voltei a colocar todas as recordações dentro daquela caixa, tranquei-a novamente, valem ouro!

Afinal, consegui manter quente o meu coração, o frio do tempo não chega para nos arrefecer a alma, e as palavras, essas levam-nas o vento.

 

Gaybriel…

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2