Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Meu rico vinho...

26.10.06


Porque teimam em dizer que eu estava bêbado?

Estávamos no início do mês de Agosto, quando entre amigos decidimos atravessar a fronteira e acampar em terras de Espanha, em Sanxenxo! Tempo quente, ambiente muito divertido, decidimos e fomos conhecer a noite! Duas ou três discotecas depois, muita dança à mistura, regressamos à tenda, muito bem acompanhados e eu que o diga! Cinco cervejas e um “não sei o quê” com cola, puseram-me a dançar no meio da estrada com uma amiga! Tenho noção do que estava a fazer, nunca tinha bebido assim, mas sabia bem e tinha noção que não estava bêbado! Um amigo continua a achar que eu estava “borracho”! No dia seguinte, não se passava nada, apenas o cansaço pela noite de sono ter sido tão curta!

Continuei o acampamento, mas já cá em Portugal, perto de Mira…Uma certa noite resolvi provar o vinho tinto! Esse meu amigo tem por hábito de dizer que o vinho tinto é o melhor amigo dele! Não vejo como… Bastou-me três copos de Monte velho, sei que estava já deitado e senti a cabeça pesada, aliás tinha a sensação que a cabeça tinha crescido! Ri-me muito naquela noite, aliás não acho que tinha motivo…mas lembro-me bem! No dia seguinte voltaram a dizer-me que eu estava “borracho”! Ei, parem aí, mas que filme é esse? Se eu estivesse bêbado não me lembraria de nada, provavelmente iria ter um acordar meio estranho...Nada disso! Acordei sempre bem disposto!

Eles é que já deveriam estar bem emborrachados e eu levei com as culpas! Claro o Gaybriel é sempre o cristo…

Para terminar, à cerca de um mês atrás e depois de uma madrugada de sexta para sábado muito complicada, resolvi passar o dia com uma amiga! Esta por sua vez resolveu convidar todos os nossos amigos e fizemos um jantar lá em casa! Quando fomos às compras, resolvemos comprar um vinho tinto para acompanhar o jantar peguei em duas garrafas de Borba e até hoje eles (os meus amigos), não parecem querer que eu volte a fazer o mesmo!

Ao jantar, perguntei cordialmente a toda a gente se eram servidos, ao que me responderam não gostar de vinho… A garrafa já estava aberta, não a iria voltar a guardar! Servi-me o primeiro copo, enquanto jantava eles conversavam, dois copos, que bem me estava a saber! Uma amiga quando reparou na garrafa que já estava a meio, resolveu servir-se também! Assim continuou o jantar… Apenas sei que todo aquele cenário me estava a fazer confusão e não sei bem o porquê, ria-me como um perdido, a garrafa acabou, mas a minha colega mal tinha provado o que pôs no copo dela e eu achei desperdício meter fora…por mais um bocado também bebi o dela! Uma garrafa de Borba só para mim, confesso, excedi-me! Mas estava bem, apenas me ria, numa primeira fase, a fase seguinte, bem, sem comentários! Mas continuo a dizer, eu não estava bêbado! Desculpem, eu não estava a atravessar uma fase boa, daí as minhas reacções, mas bêbado eu não estava! Tenho a certeza disso, eu lembro-me de tudo…

“Gaybriel, estás borracho?” – lembro de um amigo me perguntar isso quando eu lhe liguei! Por favor…

Eu tinha noção do que estava a fazer, e mais uma vez no dia seguinte tive um acordar….bem…um pouco enjoado, mas nada demais!!! Também ao que comi, e aquela àgua com açúcar que me deram, como queriam que eu não ficasse enjoado?

Fogo, eu apanho sempre com as culpas todas e ainda hoje me gozam por essa noite…

Quando apanhar mesmo uma bebedeira vocês vão saber…

Não fiquei fã do vinho tinto…mas de vez em quando até sabe bem!

O Olhar de Gaybriel...

30 comentários

Comentar post

Pág. 1/3