Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Guardarei no coração!

19.03.06

         




Enquanto escrevo, coloco os auscultadores nos ouvidos e faço duplo clique na música que nos acompanhou durante aqueles momentos… (Lara Fabian- I guess loved you)




Foram momentos únicos que guardarei no meu coração, foram aqueles que vivi contigo, aqueles que não esperei serem tão intensos, aqueles que sem dúvida foram bons demais!




Não se tratou de paixão, antes sim atracção mútua, dois seres sedentos do que se pode chamar carinho, dois corpos mendigando por um pouco mais do que apenas um mero abraço, um mero beijo…




Não me arrependo, surpreendeste-me…




Um pouco a medo quando te conheci deixei-me envolver nesses teus braços, deixei-me levar, ambos conduzimos um momento em que apenas as estrelas, o luar, a escuridão da noite são testemunhas… Um momento só nosso, tão intenso, tão bom!




Selamos aquela noite meio tontos, um turbilhão de sentimentos, questões sem respostas…




“O que tinha eu feito?”




“Porque me deixei levar numa atracção?”




As horas foram passando, os dias seguindo no seu ritmo normal…




Ambos queríamos mais, ambos não estávamos a conseguir desligar daquele momento, as mensagens foram sucessivas…




Resolvemos marcar mais uma saída!




Mas…




A tua vida não é como a minha, eu livre e desimpedido, não tenho quem me prenda, mas contigo é diferente! Estava eu já pronto para ir ter contigo quando a tua mensagem não deixou margem para dúvidas…Não podias vir ter comigo, não podias fazer com que desconfiassem de ti, da tua vida, dos teus desejos mais íntimos! Entendi, fiquei triste, mas entendi…




Como te disse, não se trata de paixão, antes sim carência, muito carinho e uma enorme cumplicidade! Fez-me bem estar contigo da primeira vez…apenas isso! Para quê ficar chateado com a tua ausência, se eu próprio sabia que as regras do jogo já tinham sido lançadas!




Não pensei muito no assunto, até porque a minha vida não tem estado agradável estes últimos dias, o que me estava a tirar por completo a noção das coisas, se pensasse demais…ainda mais deprimido ficaria!




No dia seguinte marquei um café aqui perto com duas amigas, precisava de conversar, desabafar…afinal não é fácil digerir os acontecimentos dos últimos tempos sozinho!




Enquanto falava, recebo uma mensagem tua…




“Anda ao msn, preciso de falar contigo!”




Respondi-te que não podia, não estava em casa…




“Preciso de falar contigo, vens muito tarde?”




Mas eu não sabia a que horas iria chegar em casa, mas surgiu-me uma ideia e disse-te:




“Porque não me vens buscar?”




Apenas respondeste…




“Já estou a ir…”




Vieste buscar-me, levaste-me a conhecer os recantos de Vila do Conde…




Parámos para conversar…




Perdemos de novo o rumo da conversa, abraçaste-me com imensa força…tu sabias o quanto me estava a fazer falta um abraço assim!




Sei que no fundo me estavas a pedir desculpas pelo dia anterior, quando na verdade não o tinhas que fazer…




Acabamos por nos envolver demais, acabamos por repetir o momento que nos endoideceu…eu e tu, ao som desta música e outras ainda mais românticas, cá fora apenas a chuva! Bom demais…




Mas tu não estavas bem…não te estavas a sentir justo!




Resolvemos então que a partir de agora entre nós apenas poderia haver amizade, nada mais, dispus-me a jogar com as cartas que tu próprio me deste, mas ambos achamos que não estaríamos a agir bem! A tua vida bem diferente da minha, tens já um projecto de vida em curso, casa, quem sabe matrimónio…Não podíamos continuar assim!




Mais uma vez repito não fui movido pela paixão, antes sim pelo momento, pela partilha, pelo envolvimento! Repeti, não me arrependo…não tenho por que me arrepender, sou livre e desimpedido!




Quero que saibas, a amizade que me pediste eu prometo dar-ta, tomaremos os cafés necessários, sairemos em grupo também! Não vou fugir de ti, estarei sempre aqui para te ajudar quando precisares de conversar! Eu sei que precisas e precisarás…




Ajudamo-nos mutuamente…




Foram dois momentos muito intensos…acabaram!




Guardarei no coração!




Não és o mau da fita nem nada que se pareça, somos ambos adultos, cientes dos passos que demos, cientes do ponto final que pusemos!




Saí do carro, entrei em casa, um sorriso, foi bom demais…




Voltou à lembrança o meu infortúnio, quero mais um abraço!




 




Gaybriel




 

31 comentários

Comentar post

Pág. 1/4