Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Dedicatórias

unnamed.jpg

 Se sempre existiu algo que dei valor são os gestos de carinho e de amizade que recebo dos outros e com os quais sei, posso sempre contar!
No entanto, no passado, na era em que não havia internet, nem telemóvel que nos mantivesse em contacto, um bocado de papel era tudo o que nos restava para alongar no tempo a lembrança de um amigo ou colega na hora da despedida.
E hoje é sobre o meu livro de dedicatórias que vos venho falar!
Quem não tem o seu?
Estávamos em Maio de 1996, há 20 anos portanto, tinha eu os meus tão saudosos 15 anos e preparava-me para terminar o 9º ano de escolaridade com sucesso! Sabia perfeitamente que transitaria de ano e a mudança de escola seria obrigatória e com isso também mudança de turma e consequentemente todos os amigos feitos até então fariam as suas escolhas e ficaríamos separados pelas escolas do concelho!
Com o aproximar do fim do ano lectivo, começaram alguns colegas a pedir-me para assinarem o livro de dedicatórias, que mais não era, meia dúzia de palavras com os votos de felicidades e sucessos no futuro, o que a esta distância, apercebo-me em verdade que se tratavam sobretudo de palavras de despedida! Pois mais de metade desses colegas e amigos, hoje não os reconheço na rua, outros mudaram de cidade e até de país!
Corri a comprar um livro bem pequeno e procurei reunir as mais diversas dedicatórias. Confesso, cada nova dedicação que conseguia, um sorriso novo eu ganhava e olhava para aquelas palavras como se fossem o melhor que alguma vez leria. E tantas palavras foram escritas naquelas páginas…
Nestas duas décadas, tanto tempo que até dói, muitas foram as vezes que peguei naquele livro que guardo religiosamente na caixa das recordações e viajo, mesmo que apenas em pensamento àqueles anos de vida estudantil que tanto adorei.
Ainda me lembro perfeitamente de cada pessoa que deixou o seu testemunho e imagino como estarão eles agora?! Oh saudade… Outros, a vida encarregou-se de os manter sempre perto de mim e felizmente de vez em quando uma mesa de café ainda consegue ser testemunha desses reencontros!
E os meus melhores amigos na altura?
A amiga com quem entrava em despique a ver quem de nós dois tirava a melhor nota nos testes e no fim éramos os melhores amigos e os melhores alunos da turma?! Hoje ainda nos vemos e nos momentos bons e também muito maus estamos sempre presentes um para o outro! Sei que a vida nos afastou, mas sinto que amanhã se estiver mal ela será uma das primeiras a chegar…
Ou o amigo de carteira, que copiava nos testes, mas que durante 5 excelentes anos foi de longe o meu melhor amigo, o companheiro, que falhou, mas que reconheceu e acabou por deixar no livro das dedicatórias o testemunho que mais esperava e mais me marcou também.
Construiu família e vive no país vizinho. Mas ainda este ano não se esqueceu de mim e mesmo que o tempo tenha sido escasso, conversamos um pouco onde serviu para perceber que está bem e feliz!
Sei que vou guardar este livro comigo até ao fim, a ideia sempre foi essa! Hei-de ser velhinho e reler aquelas palavras e sorrir…e se a memória não me trair, recordar todas aquelas pessoas que de uma forma ou outra foram muito importantes para mim quando frequentei a escola preparatória.
E vocês? Tem o vosso livro de dedicatórias também?

Carlos

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2