Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

Ao meu "olhar azul"

 



 


Mais uma noite que se aproxima…

Não, não quero mais os mesmos sonhos! Não, não quero mais acordar a meio da noite, abraçado, beijando um vazio, que no meu sonho era o teu corpo, o teu rosto, o teu beijo!

Quantas vezes, nestes últimos dias eu acordei durante a noite, abraçando a travesseira, beijando o tecido, acreditando que eras tu que estavas ali ao meu lado!

Não quero mais acordar feliz, acreditando ter conquistado o teu coração, quando hoje eu sei que isso não aconteceu! Talvez até te tenha conquistado, mas não do jeito que tanto sonhei!

Não, não quero adormecer…

Porque se eu adormecer, sei que o acordar vai ser igual ao de hoje, igual ao de ontem, sozinho, desanimado, triste, sufocado com tudo o que aconteceu!

Esta noite, vou manter-me acordado, esta noite, não quero dormir!

**********

O sol ainda não se pôs, eu saio de casa, a caminho da praia. Passo acelerado, quem sabe não verei o pôr-do-sol, o mesmo pôr-do-sol que gostava de ver abraçado a ti!

Na mão um saco, na outra mão o telemóvel, ainda tenho esperança que me voltes a ligar, quem sabe a desejar boa noite.

Pelo caminho vou recordando, mais uma vez, os inúmeros bons momentos que passei ao teu lado, o teu sorriso, o teu olhar, o azul dos teus olhos, o teu toque, o teu jeito meigo de falar…que saudades! Volta…

Chego perto da areia e descalço-me, a areia continua bem quente, o mar está calmo, dirijo-me perto dele, quero sentir a frescura da água nos meus pés! Caminho pela costa, sem me importar com mais nada, apenas eu, o mar, o pôr-do-sol e o meu pensamento em ti! Por onde andarás?

Na minha cabeça relembro este último sábado, as tuas palavras, a tua decisão, a nossa conversa! Tanto esperei por esse dia, tanto sonhei, tanto projectei e no fim, tudo saiu bem diferente… Queria que fosse mágico, quis acreditar que iria ouvir palavras feito musica no meu coração, mas não foi assim! Acordaste-me num instante do sonho, acordaste-me para a realidade, afinal nada estava a ser como eu queria.

Acabou-se o sonho…

Sento-me na areia e abro o saco que levara comigo! Tiro um bloco e uma caneta, olhando o horizonte tento encontrar as melhores palavras a escrever sobre o que decidi fazer de hoje em diante, escrevo sobre mim, sobre ti, a importância que tens para mim e escrevo sobre o que decidi! Em poucas palavras tento no papel explicar a decisão final, em poucas palavras confesso também o que mais ninguém saberá e me assusta agora neste momento…Apenas a mim interessa, partilhar, quem sabe contigo, quando assim o entenderes!

Acabou, não é verdade?

Leio e releio as palavras que escrevi, não quero que surjam dúvidas, pego no envelope e nele escrevo com letras bem desenhadas “Para ti, meu ‘Olhar azul’…”. Procuro no saco a garrafa de plástico, abro-a e dentro coloco a carta, volto a fechá-la e abraço-me a ela!

De seguida lanço-a no mar…deposito no mar tudo o que estou a sentir, o mar, o meu amigo confidente, ele entenderá! No entanto não deixa de existir em mim, um desejo mais profundo, quem sabe, a maré não transportará todas as minhas palavras contidas naquela garrafa, até ao mar que banha a tua cidade e lá depois de depositada no areal, tu sejas o primeiro a encontra-la, o primeiro a ler tudo aquilo que o meu coração sente, tudo aquilo que até hoje tive medo de dizer! Quem sabe? Impossível…mas talvez encontres maneira mais fácil de saber o que escrevi de coração!

Volto a sentar-me na areia, fico a observar o movimento das ondas enquanto transporta a garrafa, ela segue para norte, será mesmo?

Perco-a de vista…o meu olhar volta-se agora para o pôr-do-sol!

A única vez em que conseguimos ver um, foi naquele monte, junto daquela igreja, o horizonte não deixou que o momento fosse dos mais bonitos enquanto paisagem, mas sem dúvida que foi especial para mim! Enquanto olhavas o sol a deitar-se no mar, eu continuava vidrado em ti, na tua voz, no teu sorriso, foi nessa mesma noite em que admitiste provavelmente teres-te apaixonado por mim, foi mágico, percebia que também gostavas de mim, acreditava cada vez mais que as coisas iriam dar certo entre nós!

Uma semana depois, tudo o que sonhei caiu por terra…

Dói cá dentro, estes três meses foram especiais para mim, decidi ser teimoso e pouco a pouco fui provando-te que os meus sentimentos são verdadeiros, na minha cabeça apenas os momentos bons por que passei ao teu lado…

.O dia que me disseste que eu era especial para ti!

.O dia em que afirmaste que eu era mais que um colega para ti!

.O momento em que disseste gostar de mim!

.Quando respondeste que te estarias a apaixonar por mim!

Foram muitos mais os momentos que deveria mencionar aqui, mas não o vou fazer, tu sabes quais são!

Agora resta-me tentar esquecer o que sinto por ti, achas que consigo? Não, eu sei que não…és demasiado especial para ser esquecido!


Hoje, tranco o meu coração para sempre, quem entrou e encontrou um lugar, ficou, quem não entrou, não entrará mais, porque hoje, tranco o meu coração! Fecho-o a cadeado, para que mais ninguém o possa perturbar!

Olho dentro do saco que transportava a garrafa e encontro um pequeno cofre…

Este cofre tem muito que se lhe diga, está trancado com um aluquete, misterioso! Lembro-me então, quando decidi trancar o meu coração, resolvi esconder a chave dentro deste pequeno cofre, assim ninguém mais a descobrirá, assim mais ninguém entrará na minha vida e eu não darei oportunidade a mim mesmo para me magoar novamente! O meu coração fechou-se de vez…Nele apenas tu, os amigos, a família, figuram como importantes na minha vida! Sim, tu continuarás a ser importante para mim…Tu és o meu olhar azul!



Levanto-me novamente, entro na água e com toda a minha força, lanço-o para bem longe, com o peso que possui, concerteza não levará muito tempo a enterrar-se nas areias do mar! Ficará para sempre esquecida…

Volto costas ao mar…

Dificilmente te esquecerei…

Espero que possas cumprir com a promessa, não quero que te afastes de mim, apesar do que sinto por ti, é junto a ti que me sinto bem, seria bem mais difícil se jamais pudesse ver esse teu sorriso, esse teu olhar!

Corre para junto da praia, pode ser que o mar te entregue as palavras que ainda não me deixaste dizer-te…

Subo o areal de regresso a casa, é então que….

              **********

…. Acordo!

Não passou de um sonho…

Estou frente ao computador, na secretária encontro a carta que afinal o mar não levou, ao lado está a chave com que trancávamos a tenda!

 Bem…que sonho!

No fundo, até não foi muito irreal, pois hoje acredito ter trancado o meu coração para sempre e o verdadeiro motivo encontra-se nesta carta que tão cuidadosamente escrevi para ti, felizmente não se perdeu no mar!

Vou dormir…

Gaybriel

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2