Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Café em Grão

A história da minha vida... I



Há já bastante tempo que venho a escrever o meu livro, o livro da minha vida…
O prefácio foi muito bem escrito pelos meus pais, quiseram ser eles os primeiros a mostrar-me o significado da palavra amor!
E já lá vão 25 anos…
As primeiras páginas deste livro começaram por ser escritas pelos dois, depois de cinco filhos já adolescentes eis que resolvi aparecer para lhes dar algum trabalho! Os médicos não queriam que a minha mãe me metesse neste mundo, mas eles decidiram que se Deus assim quis, seria feita a vontade Dele…
Dia 11 de Julho nasci eu então, bastante debilitado vi a luz do dia por volta das 9 horas da manhã, a minha mãe nem teve tempo de olhar para mim, meteram-me logo na incubadora, fios e mais fios…não teria muito mais tempo de vida!
Conheci praticamente todos os hospitais da zona Parisiense, a minha mãe tentava não sair da minha beira, os meus manos cresceram um pouco à pressa, o meu pai trabalhava, eles tiveram que se organizar e tentar com que a casa não desmoronasse…assim se passaram dez meses! Dez meses da minha vida, vividos de hospital em hospital, os médicos nunca prometeram muito…
Mas entretanto chegou o dia em que fui levado para casa, as minhas manas ajudaram a minha mãe a tomar conta de mim, só a partir dos dez meses comecei a aprender o que os bebés aprendem com 5 ou 6 meses…aos poucos ajudaram-me a tornar-me num bebé normal Obrigado manos pelo esforço, obrigado “Dada” ou “Tata” como carinhosamente chamava à minha mana Madalena!
Mas as coisas não estavam fáceis para a minha mãe, quando eu ainda precisava muito da atenção dela, da atenção do meu pai….este acaba por adoecer!
Lá voltou a minha mãe à rotina hospital casa, casa hospital…
Até então o meu livro tinha sido escrito aos poucos pela minha mãe, o meu pai e os meus manos…o livro que era tão simplesmente o da minha vida!
Aos dois anos, eis que as nossas vidas sofrem um enorme abalo, pouco posso falar dessa altura senão pelo que me contam, o meu pai morre vitima da mesma doença que o atirou para a cama do hospital, deixando a minha mãe viúva com 6 filhos, todos menores…
Todos contavam com o desfecho, mas nunca se está preparado…foi um reorganizar de ideias, a minha mãe tinha que lutar pelo nosso futuro…
Passou-se um ano…
Foi então que ela decidiu, que o esforço do meu pai, que sempre trabalhou para nos fazer a casa em Portugal, só ficaria concluído com a nossa vinda para cá…
Eles fazem parte da estatística de emigrantes que fugiram para França em busca de uma vida melhor, e ambos conseguiram construir o sonho deles…mas o meu pai jamais se gozou do que ajudou a construir!
Tinha eu então três anos…
Os meus manos mais velhos decidiram que a vida deles só fazia sentido em França e por lá ficaram e constituíram família...
A minha mãe regressou comigo e as minhas manas, a Portugal…
Pouco a pouco fui-me tornando eu o principal escritor do livro da minha vida!
Gaybriel


(continua)


 


32 comentários

Comentar post

Pág. 1/4